domingo, 15 de outubro de 2017

VIVENDO NAS REGIÕES CELESTIAIS

         Encontramos na carta de Paulo aos Efésios, cinco versículos que nos ensinam sobre as “regiões celestiais em Cristo Jesus; dizem respeito a realidade que todo cristão, além de viver na região terrestre, vive também nas regiões celestiais.

         1. Efésios 1.20 “o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais”. Primeiramente foi Jesus colocado neste lugar como uma autoridade máxima, pois o texto completa dizendo: “acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo o nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos pés”. Jesus é aquele que está acima de todos e de tudo nos lugares celestiais, por isto Ele mesmo disse antes de ser assunto aos céus: “toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”.

         2. Efésios 2.6 “e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus”. Isto significa, que todos nós como cristãos, nascidos de novo, ao nos convertermos, somos ressuscitados espiritualmente, e, somos colocados juntamente com Jesus nos lugares celestiais. Fica muito claro, que possuimos uma vida dupla, terrena e celestial ao mesmo tempo. É desta maneira que nos tornamos “homens espirituais”.

         3. Efésios 1.3 “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nos regiões celestiais em Cristo”. É justamente neste lugar espiritual que habitamos, e recebemos toda a sorte de benção espiritual. O fato de sermos abençoados, não depende de circunstâncias que nos cercam, pois independente de onde estamos e o que estamos passando, estamos nas regiões celestiais sendo abençoados por Deus.

         4. Efésios 3.10 “para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais”. Neste lugar espiritual que estamos, somos observados pelos principados e potestades, e na medida que vivemos, manifestamos diante deles a multiforme sabedoria de Deus. Saiba, que somos responsáveis em testemunhar o poder de Deus em nossas vidas, não só diante daqueles que nos cercam no mundo material, mas também diante de entidades espirituais que nos cercam nas regiões celestiais.

         5. Efésios 6.12 lemos: “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais”. Também aprendemos que, durante nossa permanencia nas regiões celestiais, estamos em constante batalha espiritual, lutando contra seres espirituais malignos. Há necessidade de exercermos autoridade sobre essas entidades, em nome do Senhor Jesus, por isto a Bíblia nos exorta em Tiago 4.7 “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, ele fugirá de vós”.

         Concluimos dizendo, do grande privilégio dos cristãos genuínos, de já estarem ressuscitados espiritualmente, e, vivermos nas regiões celestiais. Não importa onde você esteja, sua posição social, sua faixa etária, sua nacionalidade, ou qualquer outra identificação que tenha, se você nasceu de novo, se tornou um filho de Deus, você sempre estará com Ele, vivendo nas regiões celestiais em Cristo Jesus.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

O GRANDE DESAFIO DA FÉ


Há uma grande confusão no que diz respeito a fé, pois todos acham que a fé é um exercício de todo religioso, enquanto que segundo a Palavra de Deus só existe uma fé, o que os outros entendem por fé, segundo a Bíblia não é fé, pode ser qualquer outra coisa, menos fé.

Gostaria de examinar este assunto do ponto de vista unicamente bíblico, mas inicialmente vamos ver de acordo com a Bíblia, o que não é fé.

Não é fé apenas acreditar em Deus.

A Bíblia diz: Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem (Tiago 2.19).

Se acreditar em Deus fosse fé, concluiríamos que segundo este texto bíblico, os demônios tem fé, mas eles não tem fé, eles apenas acreditam em Deus. Há muitas pessoas que acreditam na existência de Deus, mas infelizmente não tem fé, apenas acreditam.

Não é fé possuir um conhecimento bíblico.

Certa vez aproximou-se de Jesus um homem, que dizia conhecer as Escrituras e que até mesmo praticava os seus ensinos, no entanto quando foi desafiado a exercer a fé, ele abandou Jesus. Ele era apenas um conhecedor intelectual da Bíblia. Quantas pessoas acham que tem fé, por ter um vasto conhecimento bíblico, mas a fé não é um exercício de nossa mente intelectual.

Não é fé ser um fiel religioso

É interessante porque os principais perseguidores do Senhor Jesus foram exatamente os mais fiéis religiosos da época, os chamados fariseus. Homens dedicados ao judaísmo, jejuavam duas vezes por semana, davam além do próprio dízimo exigido pela lei, faziam longas orações na praça, eram assíduos aos rituais nas sinagogas e no templo judaico, no entanto não tiveram fé, crucificam nosso Mestre. Assim, ser um fiel religioso, não significa que a pessoa tenha fé, ele tem é apenas uma crença religiosa e por mais que se dedique a ela, jamais será isso fé.

Não é fé pensar positivamente

Hoje em dia está muito na moda o positivismo ou mesmo o motivacionismo, que não tem nada com fé. Estes são produtos da mente humana, qualquer um sem fé pode ser positivo e bastante motivado. É claro que alguém possuindo a genuína fé, deverá ser cheio de motivação e positivo, mas estes veem como uma consequência natural da fé e não da capacidade humana mental.


SEGUNDO A BÍBLIA O QUE É FÉ?

Fé é baseada na Palavra de Deus

Em primeiro lugar e o mais importante, é que a fé tem uma base, um alicerce, que é a Bíblia, a Palavra de Deus. A própria Bíblia diz: "a fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus" (Rm 10.17) Para que haja fé é necessário que se ouça espiritualmente a voz de Deus através da Bíblia, que é a sua palavra viva. A Bíblia também diz: "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração". Para que alguém exercite a fé, ele precisa entrar em contato com a Bíblia, lendo, ouvindo e confiando em tudo o que ela diz.



Fé é uma convicção espiritual

Quando a pessoa confia naquilo que ouvi da Palavra, nasce no seu interior uma convicção espiritual, pois a fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção de fatos que não se veem (Hb 11.1). Quem tem fé, não tem dúvidas, pois a dúvida é justamente a falta de fé ou a incredulidade. Quem tem fé tem certeza de todas as verdades que ele recebe da Palavra de Deus. Por isto a fé nasce em uma vida quando ela se converte ao Senhor Jesus, quando ela passa a ter convicção dos seus pecados perdoados e da necessidade de entregar sua vida totalmente nas mãos de Deus, confessando Jesus como seu Senhor e Salvador.


Fé também é relacionamento com Deus

É através da fé que uma pessoa passa a ter um relacionamento com Deus, aliás este é o principal motivo de nossa fé, a criatura se relacionar com o seu Criador. A Bíblia diz que sem fé é impossível agradar a Deus, e aquele que se aproxima dele deve crer que ele existe e é galardoador dos que o buscam (Hb 11.6). Assim a fé é o único meio de buscarmos Deus, e quando o fazemos precisamos de fé, e a maior revelação de Deus ao homem é a Bíblia, por isto nós o buscamos quando nos dedicamos à sua Palavra. O principal alvo de nossa fé é o próprio Deus, é infinito e eterno, tudo podemos conquistar com a fé, mas a única fonte desse tudo é Deus.


Por fim, a fé é aprender a descansar em Deus

O aspecto mais prático da fé, é o descanso em Deus, pois em nossas vidas enfrentamos muitas coisas diferentes, mas quando temos a genuína fé, nós aprendemos a descansar em Deus, pois sabemos que todas as coisas estão no controle dele, por isto quem tem fé não se preocupa e nem fica ansioso, mas apenas confia em Deus e descansa espiritualmente nEle. A Bíblia também diz: "Pois aquele que entrou no descanso de Deus, esse também descansou de suas obras, assim como Deus das suas. Ora, à vista disso, procuremos diligentemente entrar naquele descanso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência" (Hb 4.10-11). Descansar em Deus é saber que morremos para nós mesmos, e que já não somos mais nós que vivemos e sim Cristo que vive em nós (Gl 2.20). A fé nos leva a viver através de Jesus, assim enquanto espiritualmente descansamos, Deus trabalha por nós.


Percebemos que em todo o argumento que encontramos na Bíblia a respeito de fé, esta tem mais a ver com a vida que vivemos do que com o envolvimento nosso dentro de uma determinada religião. Como fruto da fé obtemos o mais importante a salvação de nossas almas, mas, sem dúvida através dela podemos obter cura, libertação, transformação, conquista de bens, etc....enfim tudo vai depender do propósito daquele que é o alvo principal de nossa fé, Jesus!

quarta-feira, 25 de março de 2015

DESENVOLVEI A SALVAÇÃO

A palavra Salvação na bíblia tem uma abrangência muito grande, ser salvo não é apenas experimentar a certeza da vida eterna, mas muito mais do que isso, por isto Paulo diz em Filipenses 2.12 “…desenvolvei a vossa salvação…”
Como na vida natural, somos gestados e ao nascermos passamos por várias etapas para atingirmos a vida adulta, assim também se dá com a nossa vida cristã.

BASICAMENTE SE DESENVOLVE PELA PALAVRA
“Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação…” I Pedro 2.2

Jesus também disse que não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus. Assim, entendemos que a Bíblia como Palavra de Deus, é o alimento básico para nos dar o crescimento espíritual, através dela que desenvolvemos a nossa salvação.

Como comemos três ou mais refeições durante o dia, assim precisamos também comer nossas “refeições espirituais” durante o dia, para nos nutrirmos espiritualmente. E como há vários tipos de alimentos no mundo natural, assim também há vários tipos de alimentos espirituais, a Bíblia pelo menos menciona o “leite espiritual” e o “alimento sólido” (Hebreus 5.12-14).

I. BUSCANDO-A EM NOSSA VIDA DEVOCIONAL
O cristão deve praticar de várias maneiras, a sua busca pessoal pela Palavra de Deus:

1. Leitura e estudo – deve-se ler a Bíblia com qualidade e não quantidade, ler repetidamente vários versículos em sua leitura. Deve ser uma leitura planejada, sistemática e diária para se tornar um bom costume e parte de nossas vidas.

E mais ainda do que ler, há necessidade de examinar. Jesus disse: “Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim” (João 5.39) Examinar é dedicar-se ao estudo da Bíblia. Para se estudar é necessário fazer anotações e pesquisa de tudo aquilo que estamos lendo, para conhecermos de fato tudo sobre a leitura feita.

2. Memorização e meditação - além do estudo, é importante também separar versículos para se memorizar. Recomendo para isto, você escrever o texto ou versículo num pedaço de papel, com a referência do mesmo, e carregar consigo durante todo o tempo que for necessário para você saber ele de cor, hoje em dia torna-se fácil fazer também através do celular, anote o versículo nele e facilmente durante o dia poderá acessá-lo várias vezes.

Depois de se memorizar, poderemos então meditar. A meditação é uma consequência natural da memorização, quando vamos repetindo o texto decorado, por várias vezes durante um bom tempo, de maneira natural estaremos meditando, ou seja, mastigando o texto bíblico, de maneira a sugar tudo o que ele possui. Como fazem os animais que ruminam: comem o alimento, mastigam bastante e engolem não definitivamente, mas esse alimento vai para um primeiro estomago, que pode voltar para a boca, para ser novamente mastigado, até que depois de bem mastigado eles o engolem definitivamente, assim precisamos “ruminar a Palavra de Deus”.

II. BUSCANDO-A EM NOSSA VIDA COMUNITÁRIA
O cristão deve buscar o desenvolvimento de sua salvação através deste instrumento que Deus nos deixou que é a sua igreja, onde está a nossa busca comunitária, onde existe:

1. A pregação e o ensino – Deus levanta líderes através dos quais recebemos o aprendizado da sua Palavra, ministrada pela pregação e pelo ensino. Precisamos separar tempo exclusivo que dedicamos às reuniões de nossa comunidade, onde recebemos o alimento espiritual oferecido por aqueles que são mais experimentados que nós e que foram chamados por Deus para especificamente trabalharem no aperfeiçoamento dos santos conforme lemos em Efésios 4.11-12.

2. O discipulado – que é um ensino mais direcionado, preciso e que envolve também um relacionamento de qualidade entre aquele que discipula e aquele que é discipulado. Sem dúvida, este é um dos instrumentos mais importantes para levar o cristão a desenvolver a sua salvação. Pois alem do nosso envolvimento comunitário, precisamos de um envolvimento pessoal com uma pessoa qualificada, madura e que em amor vai se dedicar a nós, no propósito de nos auxiliar de todas as formas possíveis a alcançarmos uma maturidade semelhante a que ele alcançou (II Timóteo 2.2).

III. BUSCANDO-A EM MEIO AS CIRCUNSTÂNCIAS
Por fim, devemos buscar a Palavra também em meio as variadas circunstâncias que vivemos, pois Deus usa as circunstâncias para nos provar e nos levar a desenvolvermos a nossa vida espiritual.

1. Exercitando a fé e a perseverança - em Tiago 1.2-4 lemos que devemos ter motivo de muita alegria passarmos por várias circunstâncias, pois é em meio a elas que mostramos a nossa fé, e a fé nos leva a perseverança, e a perseverança deve ser até onde Deus nos concede a vitória, para que alcancemos uma vida de maior maturidade.

2. Alcançando nosso objetivo principal - também lemos em Romanos 8.28 e 29 que todas as circunstâncias cooperam para o nosso bem, e que na medida que as enfrentamos vamos nos moldando a imagem de nosso padrão principal, o próprio Senhor Jesus. Assim, não importa o tipo de circunstâncias que venhamos a enfrentar, todas elas são instrumentos poderosos de Deus para nos conduzir a um crescimento espiritual, que é nosso objetivo principal. Em meio a elas devemos nos apegar a Palavra de Deus que é aplicável em todas as situações diversas que enfrentamos.


Como falamos no princípio, nosso desenvolvimento é como na vida natural, assim o cristão, vai de uma infância espiritual até se tornar um adulto espiritual. O importante é buscarmos esse crescimento de forma natural e sem nenhum tipo de imediatismo, pois ninguém amadurece da noite para o dia, é com o tempo, humildade, paciência e sincero desejo que iremos desenvolver a nossa salvação, para a glória de nosso Deus.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

REVELAÇÕES DE DEUS

O termo revelação significa trazer ao conhecimento aquilo que está oculto ou escondido, e sabemos o quanto o Deus Verdadeiro jamais teve intenções de se esconder da raça humana, muito pelo contrário, o prazer dEle é se dar a conhecer. Há três maneiras pelas quais, Ele se revela ao homem:

1. REVELAÇÃO NATURAL
“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo.” (Salmo 19.1-4)

Quando contemplamos a natureza, encontramos nela a manifestação do poder de um Deus Criador, e ela traz uma revelação da grandeza deste Deus. No silêncio da natureza, de alguma forma, podemos ouvir um pouco a voz de Deus, ainda que seja insuficiente para conhecermos o propósito de Deus e Sua vontade, mas através dela, conhecemos parte da natureza dEle.
Não acreditamos num Panteísmo, que acredita que todas as coisas são manifestações de Deus, nem num Deísmo, que se acredita que Ele tenha criado e abandonado Sua criação e muito menos no Ateísmo, que acredita que todas as coisas apareceram como por acaso. Mas acreditamos que Deus fez todas as coisas com um propósito, e quando cremos nEle, a natureza nos inspira ainda mais a fé e o temor do Seu poder.
Deus criou o universo, e colocou no centro desta criação o homem, para que este, de acordo com a vontade dEle, vivesse e experimentasse do Seu amor e usufruísse de tudo como uma dádiva divina do Seu Criador, por isto a natureza revela o amor de Deus e a Sua provisão para a nossa sobrevivência, sem contar os inúmeros detalhes que ela possui e que proporcionam prazer e alegria para toda a raça humana e também para os animais.

2. REVELAÇÃO ESPECIAL
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” (João 1.1-3,14)

Pela insuficiência da revelação natural Deus nos deu uma revelação especial, por intermédio da qual se fez conhecer pessoalmente aos homens, quando Ele próprio se encarnou através de Jesus, o Seu Filho. Jesus foi uma revelação especial de Deus para anunciar ao homem o propósito e a vontade de Deus. Ele pessoalmente veio nos ensinar sobre o Seu Reino Eterno, e como o homem havia se desviado pelo pecado, Jesus veio como o Único meio de salvação, assim Ele disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”.
O mesmo Deus que criou o universo, veio em carne e osso para nos resgatar a origem do Seu propósito: vivermos num relacionamento prazerozo com o nosso Criador. Tudo o que Jesus viveu, foi uma revelação especial de Deus, assim Ele se expressava: “Quem me vê a mim, vê o Pai…porque Eu estou no Pai e o Pai em mim… nada posso fazer por mim mesmo, a não ser que o Pai queira.” Ele também disse: “Não se faça a minha vontade senão a tua (referindo-se à vontade do Pai).
É um privilégio para nós podermos conhecer o Deus Criador e o Deus Salvador, através destas duas revelações de Deus, mas elas ainda se completam quando conhecemos a terceira e última revelação de Deus.

3. REVELAÇÃO ESCRITA
“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” (II Timóteo 3.16-17)

Além da revelação natural e especial de Deus, para completar temos a revelação escrita de Deus, que é a Bíblia, a sua Palavra Viva. Por uma longa parte da história (aproximadamente 1.600 anos), Deus inspirou homens que foram instrumentos nas suas mãos para nos trazer esta revelação maravilhosa, que é a Sua Palavra. A Bíblia está em plena harmonia com a natureza de Deus, na criação, como com a manifestação de Deus através de seu Filho, Jesus Cristo, que aliás é a mensagem central da Bíblia: Jesus, o Criador, o Senhor e  o Salvador dos homens.
Tudo aquilo que é importante e necessário ao homem conhecer está revelado na Palavra de Deus, a Bíblia. Na própria Bíblia está escrito: “Que as coisas ocultas pertencem a Deus, mas as reveladas pertencem a nós”. Assim, entendemos que não temos a respostas para todas as perguntas, mas temos respostas para todas as perguntas mais importantes para o homem: Quem é Deus? Quem é o homem? Por que Deus o criou? Qual o Seu propósito? Qual o seu destino final? Estas e muitas outras perguntas pertinentes à existência humana, encontramos em detalhes dentro da Palavra de Deus.
Podemos afirmar que a Bíblia, a Palavra de Deus, é a vontade de Deus escrita e determinada para o conhecimento, salvação e vida do homem. E ela está em plena harmonia com a criação do universo, pois ela também fala muitas vezes desta criação, e está em plena harmonia com a revelação de Jesus, pois Ele mesmo disse:”Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim”.

CONCLUINDO
“…para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder…”


Estas revelações podem se tornar parte de nossas vidas, na medida em que CREMOS, é o que diz este texto: para com os que cremos. Precisamos exercitar nossa fé, confiando no que a Bíblia diz, e tomando posse destas revelações de Deus. Jesus é o Senhor Deus, como Criador, Senhor e Salvador dos homens. Só é possível conhecer a Deus através de Jesus. “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.”

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

APRENDENDO SOBRE FÉ

Há uma grande confusão sobre este assunto, pois ainda que a fé tenha um significado de origem geral, isto é, fé é apenas confiar em alguma coisa ou pessoa, neste ponto de vista, exercitamos a fé constantemente, basta você se sentar, você confia na cadeira onde se senta, ou fazer um pagamento, você confia no dinheiro como algo que tem valor para uma determinada compra, mas quando falamos de fé em termos bíblicos, é bem diferente, e o que vamos examinar rapidamente aqui, é exatamente o que é a FÉ segundo a Bíblia.

PRIMEIRAMENTE VAMOS ANALISAR RESUMIDAMENTE O QUE NÃO É FÉ

1. Não é fé - acreditar em deus ou em algum ser superior.
Coloquei em letra minúscula, porque não me refiro ao Deus Verdadeiro, mas em um deus que se fabrica na mente humana. Há muitas pessoas que acreditam na existência de deus, mas esse deus não é o Deus de verdade, é apenas um deus que inventaram ou um deus que vem da imaginação do homem. E ainda que se acredite até no Deus Verdadeiro não significa que se tenha fé, pois a Bíblia diz que até os demônios acreditam em Deus. Tiago 2.19 diz: “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem”. Até os demônios acreditam, mas não têm fé.

2. Não é fé - ter uma crença religiosa e praticar cultos e ritos religiosos.
Você vai encontrar em qualquer parte do nosso planeta, infinidades de crenças religiosas. Até mesmo numa aldeia indígena onde se vive completamente alienado da sociedade, no entanto, lá eles possuem também uma crença religiosa. Todas as tribos indígenas possuem um feiticeiro e um ritual religioso e de alguma forma eles tentam um contato com um ser superior ou com o sobrenatural. Há milhares de crenças espalhadas pelo mundo, mas essas crenças não têm valor algum perante Deus. Segundo a Bíblia, ter uma crença, seja ela qual for, não significa que se tenha fé, aliás as crenças religiosas, pelo contrário, apenas servem para enganar as pessoas, pois ao se dedicarem a uma crença estão se iludindo, achando que através delas, conseguem algum benefício espiritual.  Muitas pessoas se acham cheios de fé porque são fiéis numa prática religiosa: fazem rezas, orações, cantam, jejuam, leem seus manuais de cultos e praticam infinidades de ritos. Mas tudo isto também não tem valor diante de Deus se não tiverem alicerçados numa fé bíblica genuína. Há religiosos evangélicos, católicos, espíritas, budistas, mulçumanos, judeus e por aí vai, são milhares deles espalhados pelo mundo praticando fielmente seus cultos e rituais sem nenhum valor de fé perante Deus. Isaías 1.11-13 nos mostra como Deus não se agrada de rituais sem o ingrediente mais importante que é a fé em Sua Palavra.

3. Não é fé - ter experiência com o sobrenatural.
Muitas pessoas também acham que praticam uma fé bíblica, por experimentarem de alguma forma, o poder sobrenatural. Por exemplo, uma cura de uma determinada enfermidade, ou uma visão, ou uma profecia, ou ainda um tipo de arrebatamento espiritual. É possível que o ser humano tenha experiências transcendentais. Muitas práticas indígenas, por exemplo, levam alguns a terem visões espirituais. Há feiticeiros, e como diz no espiritismo, pessoas com capacidade mediúnica, que são capazes de se comunicarem com o mundo espiritual e serem mediadores entre os vivos e os mortos. Uma coisa é certa, o sobrenatural se manifesta tanto da parte de Deus como dos demônios também, assim sendo o simples fato de se ter uma experiência com o sobrenatural, não significa que se tem fé.

4. Não é fé - ter uma credibilidade histórica ou mesmo uma intelectualidade religiosa.
Há muitas pessoas que são convencidas e não convertidas. Que acreditam na veracidade da Bíblia e chegam a conhece-la com profundidade intelectual, sem uma profundidade espiritual. Defendem até mesmo a Bíblia, mas sem possuírem a genuína fé salvadora. Os fariseus no tempo de Jesus, são o maior exemplo disto, pois eram extremamente conhecedores das Escrituras do Velho Testamento, mas não tinham uma compreensão espiritual da mesma, por isso foram os que mais perseguiram Jesus e seus seguidores. Sem dúvida que em nossos dias há muitos “fariseus modernos” cheios de conhecimento, mas que por não terem fé, acabam até mesmo perseguindo aqueles que a tem de verdade.

SEGUNDO A BÍBLIA, O QUE É FÉ?

I. A FÉ TEM SUA BASE PRINCIPAL NA PRÓPRIA PALAVRA DE DEUS, A BÍBLIA
Romanos 10.17 “E assim, a fé vem pelo ouvir, e o ouvir da Palavra de Deus”. De acordo com este texto, aprendemos que a fé vem pelo ouvir da Palavra de Deus, em outras palavras, sem ouvir, é impossível de se ter fé. A fé é a confiança na Palavra de Deus, na medida que eu a ouço, eu creio e confio 100% nela, consequentemente a obedeço, este é o passo principal para se exercitar a fé. A Bíblia é a revelação especial de Deus para o homem, como o Universo é uma revelação natural de Deus para o homem, no entanto a revelação natural é insuficiente para me levar a conhecer Deus e Seus propósitos, mas a revelação especial, a Bíblia, nos dá o privilégio de conhecer tudo aquilo que precisamos de fato saber e experimentar para obtermos a fé e desenvolve-la adequadamente. Deuteronômio 29.29 diz: “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei”. Assim sendo, a Bíblia é toda a revelação que nos pertence. A nós homens, Ele se dá a conhecer pela Sua Palavra, a Bíblia.

II. A FÉ SE INICIA PELO NOVO NASCIMENTO, A CONVERSÃO.
Atos 20.21 “Testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus.” I João 5.4-5 “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?” A principal mensagem e revelação de Deus para o homem, é sobre a necessidade de arrependimento e fé no Senhor Jesus, pois assim o homem vai experimentar uma transformação espiritual em sua vida, que chamamos de Novo Nascimento ou Conversão. À partir da conversão, se começa a exercer a fé, pois todo aquele que se converte, entrega o governo de sua vida a Jesus, e entra no Reino de Deus.A fé é “a moeda corrente” do Reino de Deus. Pois tudo o que nos é oferecido no Reino de Deus, se conquista através da fé, assim, quando se obedece no Reino de Deus, também é através da fé. De um lado você dá e de outro você recebe. O começo da fé, é o primeiro ato de confiança em Deus, que é a entrega de nossas vidas a Ele. A Ele nos rendemos e nos entregamos totalmente e confiamos no seu amor, perdão, cura, libertação, provisão, etc..

III. A FÉ TEM COMO PRIORIDADE, NOSSA INTIMIDADE COM DEUS.
Hebreus 11.6 “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” O mais importante da fé, é o relacionamento que nasceu entre o Criador e a criatura. Pois através da fé, passamos a ter intimidade com Deus, nasce um perfeito diálogo entre os dois: Deus nos fala pela Sua Palavra e nós falamos com Ele através da oração. Não existe nada mais maravilhoso do que o prazer que se tem de termos livre acesso ao coração de Deus através de Jesus, Seu Filho. Jesus abriu esse caminho, tornou-se o nosso mediador supremo, por isso Ele disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai, se não por mim”. Ler a Bíblia e meditar nela, se torna um grande prazer para aquele que tem fé, pois sabe que através dela, se ouve a voz de Deus, e orar não é um ritual religioso, mas o prazer de falar com nosso Pai Celestial, e saber que Ele nos ouve com atenção e amor. Quem tem fé tem um relacionamento constante e evolutivo com Deus, nosso Senhor, Salvador, Pai, Amigo…

CONCLUSÃO: para terminar, gostaria de dizer que, a Fé como consequência de tudo o que expus, ela não é passiva e melancólica, como se produz nas religiões, mas é sim, ativa, alegre e contagiante. Quem tem fé, vai ser uma pessoa totalmente positiva e otimista, porque sabe que conseguiu o mais importante: Um relacionamento com seu Criador, que o capacita a ter uma vida de vitórias e conquistas. I João 5.4-5 “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?” Quem tem Fé, vence todos os obstáculos e adversidades do mundo, porque pode dizer: Tudo posso naquele que me fortalece! Se Deus é por mim, quem será contra mim? Maior é aquele que está em mim do que aquele que está no mundo! O Senhor é meu Pastor e nada me faltará! O Senhor é a minha luz e a minha salvação, a quem temereiO Senhor é a fortaleza da minha vida, de quem terei medo?


sábado, 8 de junho de 2013

O CRISTÃO DEVE SER COMO A ÁGUIA

Muita matéria já tem sido escrita sobre a águia, mas como tenho uma mensagem já há 30 anos sobre a águia, resolvi publicá-la, tendo a certeza de que muitos serão edificados através dela.

Nosso texto básico é o de Isaías 40.30-31: “Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam”.

O profeta usa a águia como figura daquele que confia no Senhor, que vive uma vida em ascendência, sempre subindo, sem nunca se cansar. Assim deveria ser todo cristão, tendo uma vida crescente, não vivendo como uma eterna criança espiritual, mas como um homem maduro e experimentado.

Como toda ave, a águia começa sua vida em um ninho aconchegante e fofo, cheio de penas onde confortavelmente é alimentada por sua mamãe águia e aquecida por suas longas asas. Assim também começa a vida do cristão, quando conhece o Senhor Jesus e vive o seu primeiro amor, tudo parece maravilhoso, confortável e seguro, quando é amparado pelos novos irmãos e a nova igreja, recebendo os seus primeiros alimentos, como recém-nascido, bebe do leite espiritual (I Pedro 2.2), pelo qual lhe é dado o crescimento para a salvação.

Mas chega um tempo em que o filhote de águia, começa a ser incomodado pela própria mãe, que vai tirando dele o conforto, esta começa a tirar partes do ninho proporcionando uma situação desajeitada para o filhote, para que ele perceba a necessidade de sair do ninho, e se este insistir em permanecer ali, ela chega mesmo a bicá-lo para que ele se mova do lugar. A natureza o empurra para aprender a voar, e muitas aguiazinhas são jogadas no espaço e acompanhadas pela mãe que os agarra antes de caírem ao chão, e são levados novamente às alturas e deixados novamente no espaço até que aprendam a voar.

Tiago 1.2-4 nos fala que devemos ter motivo de toda a alegria o passarmos por várias provações, porque estas, têm a finalidade de nos levar a crescer e amadurecer, se exercermos a fé e a perseverança. Deus é como a mãe águia, que nos quer ver aprendendo a voar, e para isto Ele tira o nosso conforto e nos causa temporariamente circunstâncias que nos obrigam a sair do “ninho”. As provações são instrumentos de Deus para nos ensinar a “voar” sozinhos.

Quando a águia aprende a voar, são muitas as lições que aprendemos com elas que se aplicam a nossa vida cristã adulta.

1. As águias são as aves que alçam os mais altos voos em meio aos fortes ventos

A Bíblia nos ensina em Romanos 5.3,4 que devemos nos gloriar nas tribulações, porque estas produzem perseverança, a perseverança experiencia e a experiencia a esperança. Assim, à semelhança da águia, o cristão maduro, quando passa por tribulações ele alça um “voo” mais alto ainda, pois as lutas e adversidades nos levam a exercitar a fé, que nos levam a perseverança, e através disto adquirimos experiência e nos enchemos de esperança de cada vez mais alcançarmos as vitórias que Deus tem para nós. Entenda que a dificuldade é o desafio de “voarmos” cada vez mais alto.

2. As águias comem do melhor alimento.

A Bíblia nos ensina em Hebreus 5.14 que o cristão maduro se alimenta do alimento sólido e não mais do leite espiritual. Assim como a águia, o cristão deve comer o melhor de Deus para sua vida. A águia é uma exímia caçadora, por isto consegue os melhores alimentos. Assim o cristão, tem que buscar com intensidade a Palavra de Deus para poder encontrar o melhor alimento para sua vida e não mais ficar na dependência de outros que lhe dão a mamadeira na boca. O cristão maduro, aprende a ler, estudar e meditar na Palavra de Deus, exercitando suas faculdades para discernir não somente o bem, mas também o mal.

3. As águias constroem os seus ninhos em lugares altos e seguros

A Bíblia nos ensina em Mateus 7.22-27 que o cristão maduro, por praticar a Palavra de Deus, sua vida é como uma casa construída sobre a rocha, que suporta todo tipo de adversidade, vivendo uma vida estável e inabalável, independente das circunstâncias que o rodeiam. Mas aquele que não pratica, se tornando apenas um ouvinte negligente, construindo sua casa sobre a areia, e quando vêm os ventos e a tempestade, são destruídos e grande é a sua ruína. O cristão como a águia, deve fazer sua moradia sobre a rocha da prática da Palavra de Deus, para ter uma vida segura e estável.

4. As águias possuem uma visão privilegiada

A Bíblia também nos ensina em Efésios 1.17-18 que Deus nos traz revelação e ilumina os olhos de nosso coração para que possamos enxergar a grandeza de Deus e discernirmos o propósito dEle para com as nossas vidas. Há certos tipos de águia que se pudessem, leriam um jornal a um quilometro de distância, tamanha é a sua capacidade de enxergar, visando suas presas até mesmo a três quilometros de distância. Assim também deve ser o cristão maduro, ter visão espiritual, enxergar a longa distância, ler as circunstâncias de maneira correta e perseguir os seus alvos espirituais com perseverança e precisão.

5. As águias renovam suas vidas através do isolamento e jejum

Algumas águias quando chegam na metade de suas vidas, por volta de 35 anos, elas se retiram por longos 5 meses, fazendo o seu ninho num lugar mais alto e seguro possível, e ali permanecem quando trocam seus bicos, suas garras e suas penas que são arrancadas por elas mesmas. Assim elas reiniciam um novo tempo em suas vidas. À semelhança das águias, o cristão precisa aprender a importância de se isolar e jejuar para a renovação de sua vidas espirituais. Em Lucas 5.33-35 Jesus fala que chegaria o tempo em que seus discípulos necessitariam de jejum e oração. O jejum nos capacita, renovando nossas forças espirituais para enfrentarmos todo o tipo de dificuldade pelo caminho da fé cristã.

6. As águias tem uma morte vitoriosa

Finalmente, aprendemos como as águias, a enfrentar a morte de maneira vitoriosa. A águia sabe o momento da chegada de sua morte, desta maneira ela procura um ponto mais alto possível onde possam se assentar, e ali ficam voltadas para o sol a espera de sua última respiração. A Bíblia nos ensina em I Coríntios 15.54-55 que a morte foi tragada pela vitória de Cristo Jesus, nosso Senhor, e que podemos enfrentar a morte sem medo e receio algum, quando nossos olhos estão fixos na glória do Senhor. Assim, todo cristão tem uma morte vitoriosa, pois esta é apenas o início de uma nova vida. E quando Jesus nos chamar, que estejamos no mais alto possível que pudermos alcançar, para que nossas vidas sejam um testemunho vivo do poder Deus, nosso Senhor.

Para finalizar minha mensagem, gostaria de dizer de outros três tipos de aves que, infelizmente se parecem com muitos tipos de cristãos: O urubú, que só come carniça e não quer ter o trabalho de caçar. Não seja um cristão urubú, alimentando de porcarias na tv, internet e tantas outras fontes de lixo e carniça, mas seja com a águia que tem o trabalho de procurar o melhor alimento. A galinha, que não voa e fica só ciscando e comendo minhocas e porcarias também. Não seja um cristão galinha, que não cresce e fica sempre no mesmo lugar “ciscando” e também se alimentando do pior. O pardal, que é uma praga, que só serve para fazer barulho e estragar a natureza. Não seja um cristão pardal, que só faz “barulho” e que fica fazendo estrago por onde quer que passa, ao invés de edificar as vidas e o Reino de Deus.

Enfim que sejamos como águias, que não se cansam nem se fatigam, que não ficam exaustas e caem, mas esperando no SENHOR renovemos nossas forças, subindo com asas como águias, correndo e não se cansando, caminhando e não se fatigando.

sábado, 1 de junho de 2013

IMEDIATISMO VERSUS PERSEVERANÇA

Um dos grandes problemas dos dias de hoje é que vivemos o tempo do imediatismo, a era do “microondas” e do “controle remoto”, tudo é mais fácil e rápido, e isto tem prejudicado uma das grandes virtudes da fé cristã, que é a perseverança. Na Bíblia toda aprendemos que embora nosso Deus seja poderoso para instantaneamente operar milagres e maravilhas, nem sempre é assim que acontece. Assim foi na vida de Abraão, que esperou anos para ter o filho da promessa, também com Isaque não foi diferente que casou-se com 40 anos de idade, e Jacó então que trabalhou 14 anos pela esposa Raquel, José seu filho, esperou pacientemente em meio a muitas adversidades por muitos anos para ser recompensado ao assumir o governo do Egito, Moisés só depois de 40 anos no Egito e 40 anos em Midiã, foi chamado por Deus para liderar Israel. Poderíamos gastar muitas linhas aqui para mostrar que as conquistas dos homens de Deus na Bíblia, foram através de fé e perseverança, nada foi dado “de mão beijada”. E hoje infelizmente devido a grande influência do imediatismo moderno, as pessoas não tem mais paciência para perseverar e crer e alcançar as promessas de Deus, o indivíduo quer as conquistas de maneira simples e fácil, como se tudo fosse como que uma mágica, basta fazer algumas  “campanhazinhas” e acham que tudo já irá se resolver e as bençãos virão. Mas não é bem assim, Deus tem todo o direito de provar nossa fé e perseverança, e as bençãos virão sim, sem dúvida, mas na medida que cremos e esperamos o tempo de Deus que é bem diferente do nosso. Por isto, não olhe as circunstâncias, olhe para Jesus, o autor e consumador de nossa fé, persiga seus alvos com fé e perseverança, não desista ainda que pareça demorado o que está a buscar. O ditado popular é verdadeiro, a pressa é inimiga da perfeição, é assim que Deus trabalha, Ele é o Oleiro que com paciência está nos moldando, a medida que nos colocamos como barro em suas mãos. A Bíblia diz que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que foram chamados segundo o seu propósito”, por isto o grande segredo é ser paciente em meio as dificuldades e adversidades da vida, e saber que Deus está sempre no controle, basta confiar nEle que a vitória final será alcançada. Que Deus abençoe muito sua vida e o capacite para com fé e perseverança cumprir o propósito de Deus.